MONSTRA

uma coreografia-colagem para pessoas e plantas
Sequência de células coreográficas independentes – blocos de ações que se colam e se separam uns dos outros com certa brutalidade, como se fossem cortados com uma tesoura. Dentro de cada bloco há um enunciado comum, mas cada conjunto pessoa-planta responde a ele de forma distinta, construindo a cada novo corte uma não-totalidade: uma colagem, uma comunidade, um ecossistema, uma MONSTRA.
Entre o analógico e o digital. Entre o doméstico e o selvagem. Entre a delicadeza e o delírio. Entre o grito e o gozo. Uma existência de 335 milhões de anos vista em 360 graus.
direção Elisabete Finger e Manuela Eichner| criação e performance Barbara Elias, Danielli Mendes, Josefa Pereira, Mariana Costa, Patrícia Bergantin | figurino Lu Mugayar | fotografia Debby Gram | video Estúdio Baile_Aline Belfort | produção Carolina Goulart | apoio à residência Casa Líquida e Casa Juisi

 

 

 a choreography-collage for people and plants
Sequence of independent choreographic cells – blocks of actions that attach and detach from each other with certain brutality, as if they were cut by scissors. Inside each block there is a common statement, but each ensemble person-plant responds in a different and specific way. Every new cut exposes a new configuration, making and unmaking another totality: a collage, a community, an ecosystem, a MONSTRA.
Between analogic and digital, domestic and savage, delicacy and delirium. Between a shout of protest and a cry of ecstasy. An existence of 335 millions of years, seen in 360 degrees.
directed by Elisabete Finger and Manuela Eichner| criated and performed by Barbara Elias, Danielli Mendes, Josefa Pereira, Mariana Costa, Patrícia Bergantin | costumes Lu Mugayar | photo Debby Gram | video Estúdio Baile_Aline Belfort | production Carolina Goulart | support and artistic residency Casa Líquida e Casa Juisi