O. é um círculo, um buraco. O. é uma ação ou uma operação. O. são possibilidades precárias de ser e pertencer, de funcionar e exceder, de atravessar, ferir, furar, vazar, dissolver, fundir e continuar. O. é para mim (sem cabeça) uma vertigem fascinante, quase insuportável. O. pode ser para você uma instável imagem-movimento, feita e desfeita, devorada por ou condensada em
monstro.
Entre 2010 e 2012 desenvolvi uma série de trabalhos que chamei de ‘estudos para monstro’ – composições possíveis para um mesmo grupo de elementos: dois pedaços de pele de bicho, um ovo, uma flecha, um buraco, um balão dourado, coca-cola, alguma coisa vermelha, alguma coisa peluda, alguma coisa voando, alguma coisa girando, alguma coisa morrendo. O. é o último trabalho desta série.
um solo de e com Elisabete Finger | desenho de luz Yair Vardi | assistência Sandro Amaral | motion Joana von Mayer Trindade | acompanhamento Vera Mantero | colaborações Johanna Hegenscheidt, Litó Walkey, Ric Allsopp e Rhys Martin (Berlin), Dinis Machado, Susana Gaspar, Rita Natálio e Miguel Pereira (Lisboa); Neto Machado, Michelle Moura e Gustavo Bitencourt (Curitiba) | fotografia Hagolani | apoios e residências HZT/UdK (Berlin-GE), Forum Dança e O Rumo do Fumo /Residências no Edifício (Lisboa – PT) |
O fez parte do projeto Couve-Flor – Manutenção Coletiva – Patrocínio: Petrobras – Lei de Incentivo à Cultura – Ministério da Cultura e Governo Federal.
something hairy, something black, something red. something dripping, something flying, something turning, something living, something dying.
O. is a circle, a hole. O. is an action or an operation. O. is precarious possibilities of being and belonging, of functioning and exceeding, of traversing, piercing, leaking, dissolving, fusing, and continuing. O. is for me (headless) an abyss, a fascinating and almost unbearable vertigo. O. may be for you an unstable image-movement, an image that is made and unmade, that is devoured by, or condensed into
monstro.
concept & performance Elisabete Finger | light Yair Vardi | assistance Sandro Amaral
|motion Joana von Mayer Trindade | accompanied by Vera Mantero | collaborations Johanna Hegenscheidt, Litó Walkey, Ric Allsopp and Rhys Martin (Berlin), Dinis Machado, Susana Gaspar, Rita Natálio and Miguel Pereira, (Lisbon); Neto Machado, Michelle Moura and Gustavo Bitencourt (Curitiba) | photo  Hagolani |support and residencies HZT (Berlin-GE), Forum Dança and O Rumo do Fumo /Residências no Edifício (Lisbon – PT), Petrobras Cultural: Couve-Flor Manutenção Coletiva (Curitiba – BR).